Odemira - São Teotónio

Classificar centro

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 0.00 (0 Votes)

363 KM DE TRILHOS 
4 NÍVEIS DE DIFICULDADE
7 PERCURSOS

O Centro Cyclin’Portugal de Odemira constitui-se na principal estrutura de apoio aos ciclistas da Costa Alentejana e Vicentina, mas também num convite para os portugueses e o público internacional que, além do gosto por pedalar, partilham o interesse pelo contacto com a natureza e por uma cultura rural viva e autêntica. Aos trilhos e caminhos rurais e de serra que podem ser usufruídos de bicicleta, juntam-se paisagens deslumbrantes, aldeias que parecem perdidas e pessoas que vivem estes trilhos como parte da sua herança. 

São 38 percursos circulares que somam mais de 1000km e se desenrolam em torno de 5 Núcleos ou Portas de Entrada: Odemira, São Teotónio, São Luís, Santa Clara-a-Velha e Colos. São organizados em 4 níveis de dificuldade, acessíveis a todos, dos principiantes aos mais experientes. Aproximadamente 340km são marcados no terreno, a contar todos os percursos verdes e azul e um percurso vermelho por Núcleo. 

Existe ainda uma Grande Travessia totalmente marcada no terreno - compatível com bicicletas de Gravel - que une os 5 núcleos ao longo de 145 km e articula-se com as Estações de Comboio da região, a permitir conhecer inúmeros recantos do Concelho de Odemira! 

Os mais de 1000 km de percursos BTT complementam uma oferta de 750 km de trilhos pedestres e um leque de actividades de natureza, cultura e bem-estar, além de uma rede de empresas locais parceiras da Rota Vicentina, que acreditam nos princípios de sustentabilidade que o projecto tem para a região. 

Para mais informações, consulte o site da Rota Vicentina e faça download da APP Rota Vicentina. 


informação

  • Associação Rota Vicentina

    (+351) 283 327 669

    Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

    https://rotavicentina.com/cycling/percursos-btt/

    37°35’49.0″N 8°38’45.8″W

  • A região fica situada entre Lisboa e o Algarve. Estando servida pelos aeroportos de Lisboa e Faro, é possível chegar às principais localidades do Sudoeste de carro, autocarro e comboio. O acesso até Sines ou Aljezur é feito através de autoestradas ou vias rápidas e os percursos dentro da região por estradas secundárias e algo sinuosas, caracterizadas pela beleza da paisagem. 

    Se pretende dispensar o carro, pode chegar de comboio ou autocarro e contar com o serviço de táxis ou transferes, garantidos por alguns prestadores turísticos. A região é servida pelas Estações de Comboio da Funcheira, Amoreiras-Odemira e Santa Clara-Sabóia. 

    O Centro Cyclin'Portugal de Odemira situa-se no Parque Ribeirinho da Vila de Odemira, em zona de lazer na margem esquerda do Rio Mira, ao final da rua César Mirandas. 

  • Verão: 8h00 – 20h00

    Inverno: 8h00 – 18h00


mapa de localização


Equipamentos e serviços

  • Oficina Self-Service
  • Lavagem de Bicicletas Gratuita

  • Balneários c/Banhos Gratuitos
  • WC
  • Aluguer de Bicicletas

  • Aluguer de GPS

  • Programas  BTT

  • Passeios  BTT

  • Painel Informativo

  • Alojamento Bike Friendly

  • Parque de Campismo

  • Turismo Rural

  • Praia Fluvial

  • Restaurante

  • Café

  • Percursos Pedestres

  • Outras Atividades

mapa geral de percursos

percursos

p11 verde

Percurso fácil e curto, ideal para famílias ou praticantes menos experientes. Só tem mesmo de ter cuidado com o trânsito de alguns veículos e peões da vila de São Teotónio, já que o trajecto segue maioritariamente por ruas e estradas asfaltadas e por caminhos largos.

Distância: 3,5 km

Tempo: 0h30- 0h45

Desnível Acumulado: 75 m

p12 azul

Para além das pequenas ruelas labirínticas de São Teotónio, tanto à partida como à chegada, este trilho percorre sobretudo caminhos rurais e florestais que mostram a essência do interior desta região. O percurso passa na Delfeira e na aldeia de Casa Nova da Cruz, que dá nome ao circuito e que é o único ponto do trajecto com alguma presença humana.

Distância: 25km

Tempo: 1h30-2h00

Desnível Acumulado: 410 m

p13 vermelho

O grande atractivo deste percurso é a difícil e mítica subida aos Algares, o ponto mais alto na proximidade de São Teotónio. São quase 10 km em subida, por vezes quase a 20% de inclinação, entrecortada por pequenas descidas e troços planos para que possa recuperar o fôlego antes do assalto final. O percurso passa a cerca de 250 m do ponto mais alto onde está instalada uma torre de vigia contra incêndios. Aproveite para apreciar as vistas que são deslumbrantes!

Distância: 38,5 km

Tempo: 2h30-3h30

Desnível Acumulado: 720 m

p14 vermelho

Se procura paisagens de cortar a respiração, este é dos percursos mais completos de toda a rede. Litoral, interior, ruralidade e costa, tudo no mesmo traçado! Os primeiros 6 km deste troço são sem duvida os mais impressionantes com o percurso a seguir as imponentes falésias tão características da Costa Alentejana! Atravessa várias povoações como Estibeira, Malavado, Fataca, Cavaleiro, Zambujeira do Mar e passa na proximidade do Brejão.

Distância: 50 km

Tempo: 3h00-3h30

Desnível Acumulado: 500 m

p15 preto

Percurso de nível muito difícil, sobretudo pela sua extensão de 60 km! A grande dificuldade aparece precisamente ao km 38, com uma subida de 6 km num estradão florestal e com passagens um pouco acima dos 15% de inclinação. O percurso segue sobretudo por caminhos rurais, por vezes através de extensos eucaliptais e, perto do litoral, atravessa algumas zonas de agricultura intensiva.

Distância: 63km

Tempo: 4h00- 5h30

Desnível Acumulado: 975 m

p16 preto

Este é um percurso para quem gosta de emoções fortes! Prepare-se para um sobe e desce. Este percurso mostra o lado mais rural desta região através de uma natureza quase sempre selvagem, e passando por lugarejos hoje abandonados, mas no passado fervilhantes de vida graças à agricultura. Sensivelmente a meio caminho, o traçado passa na vila Sabóia e a poucos km da estação de comboios, que vale a pena visitar.

Distância: 72km

Tempo: 4h30- 5h30

Desnível Acumulado: 1210 m

p17 preto

Prepare-se para um percurso muitíssimo difícil! Este é de longe o mais exigente da rede de BTT da Rota Vicentina. A subida para a Fóia (902 m), que decorre do km 30 ao 50, desenrola-se em várias fases entrecortadas por pequenas descidas, e é a maior dificuldade do percurso. Lá em cima, aproveite para disfrutar da vista incomparável para a costa Sul, costa Oeste e serranias alentejanas a Norte. Note que, no regresso, há várias subidas que podem ainda exigir algum esforço.

Distância: 111km

Tempo: 6h00- 8h00

Desnível Acumulado: 1550 m

Parceiros institucionais

Pesquisar

Contactos FPC

  • Rua de Campolide, 237
    1070-030 Lisboa
  • (+351) 213 802 140
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Newsletter